Parceiros

fefibra.jpg

Estatísticas

Visitantes
388
Artigos
901
Ver quantos acessos teve os artigos
468602

Quem Está Online

Temos 58 visitantes e Nenhum membro online

A CEGUEIRA
E O
ANO INTERNACIONAL
DA
PESSOA DEFICIENTE

Helion de Mello e Oliveira

 

O grande poder promocional do selo postal tem sido aproveitado, nos últimos anos, para chamar a atenção do público para diversos problemas, destacando-se os de saúde pública e bem estar da coletividade.

Estima-se que haja mais de 450 milhões de pessoas deficientes no mundo, ou seja, uma em cada dez pessoas possui deficiência física ou mental.

O ano de 1981 foi dedicado ao deficiente. A ONU solicitou a cooperação dos correios no sentido de emitirem selos sobre esta temática. A recomendação da entidade internacional foi prontamente atendida. Assim os filatelistas temáticos puderam contar para seus estudos com abundante material relacionado ao “Ano Internacional do Deficiente”.

Grande número dos selos emitidos sobre este tema traz o slogan “participação total e equidade” e símbolo que a ONU escolheu para caracterizar o A.I.P.D. mostrando de forma estilizada duas pessoas dando-se as mãos em sinal de solidariedade, protegidas por outra mão em sentido de equidade.

Interessante se torna proceder um exame destas emissões, observando-se como os artistas das mais diferentes regiões empregaram sua arte e quais foram as imagens preferidas para retratar o deficiente.

Alguns países emitiram um único selo, outros séries maiores ou menores, às vezes complementadas com emissão de blocos e carimbos Ilustra-dos.

A exemplo do Brasil, foram usadas imagens simbólicas – uma flor caída entre as demais ou uma estátua com perda de algumas áreas simbolizando a deficiência como no selo espanhol. O emblema instituído para comemorar o ano do deficiente foi outra imagem muito utilizada.

Na maioria dos países, seus artistas, no entanto, optaram pela imagem de um deficiente. Várias personalidades ilustres nos mais diversos campos de atividades, e que apresentaram alguma deficiência foram retratados. A título de exemplo cito: Franklin Roosevelt (poliomielite) , os artistas Sarah Bernardt (amputada) e Henri Toulose-Lautrec ( aleijado), o jornalista Joseph Pulitzer e Louis Braille (inventor do alfabeto para cegos ) ambos cegos. Beethoven, o grande músico alemão, foi lembrado para registrar a deficiência auditiva.

Os principais motivos utilizados podem ser agrupados nos tópicos: 1. Deficiência dos membros ; 2. Deficiência mental; 3.Deficiência da audição e da fala e 4. Deficiência visual.

Grande número de selos são dedicados aos deficientes dos membros superiores no seu todo ou somente a mão. Pintores sem mão pintando com o pincel na boca ou entre os dedos dos pés, operários executando atividades com mãos artificiais são alguns exemplos.

A cadeira de rodas e a muleta foram as imagens preferidas para assinalar o deficiente dos membros inferiores, os amputados e principalmente as vítimas da poliomielite. Foi dado destaque ao paraplégico e ao esporte, mostrando que vá-rias modalidades esportivas podem ser realizadas por portadores deste tipo de deficiência (arco e flecha, bola-ao-cesto, etc.)

A deficiência mental também foi representada, porem com menos destaque. O selo de Cuba ilustra pintura de um jovem deficiente mental.

A surdo-mudez foi tema de vários selos. A grande maioria reproduz sinal manual em que a posição da mão corresponde a uma letra do alfabeto. Aparelhos eletrônicos para ensino dos surdos-mudos também são retratados.

A cegueira constitui o tema de uma grande parte dos selos emitidos para difundir o A.I.P.D. Poucos países e raras as séries em que pelo menos em um dos seus valores, não houve alusão à perda da visão.
As principais imagens ilustrativas da cegueira poder ser agrupadas em:

a) personalidades ilustres - além dos já citados Louis Braille e Joseph Pulitzer foram lembrados Helen Keller ( que apesar de surda e cega concluiu curso universitário, escreveu livros e foi um exemplo de como o deficiente pode vencer suas limitações), Anne Sulivan Macy ( professora de Helen Keller) também deficiente visual, etc.

b) alfabeto Braille - grande número de selos representam mãos executando a leitura braille, escrevendo em braille ou livros em caracteres braille.

c) cão-guia de cego - o cão com arreio especial foi represen-tado algumas vezes, tais como nos selos de Uganda, Inglaterra, Togo, etc.
d) bengala e os óculos escuros - a longa bengala branca e os óculos escuros, dois conhecidos símbolos de cegueira, foram utilizados por numerosos artistas para ilustrarem seus trabalhos.

e) trabalhador cego - outro grupo de imagens representando cegos é o do operário nas mais variadas atividades, tais como datilógrafos, telefonistas, tecelões, cesteiros, vassoreiros, etc.

f) músico cego - não foi esquecida a música como meio de recuperação e profissão de grande número de cegos. Foram ilustrados o pianista e o tamborista.

A ONU consagrou o ano de 1981 como o ANO INTERNACIONAL DA PESSOA DEFICIENTE visando fornecer aos mesmos oportunidade de acesso aos serviços médicos, à educação, ao trabalho, ao desporto, à recre-ação, à cultura, à arte e às atividades sociais.

Os artistas que desenharam os selos postais conseguiram, nas mais várias partes do mundo, fazer com que estes pequenos retângulos ex-pressassem todos os propósitos da organização internacional.

 

Relação dos selos sobre CEGUEIRA emitidos no A.I.P.D.

 

País

Valores

Descrição

Argélia

2 1 v.

cego com bengala

Antilhas Holandesas

4 1 v

mulher cega

Arábia Saudita

2 1 v

cego lendo braille

Barbados

4 1 v.

cega escrevendo braille em Máquina Perkins

Barbuda

4 1 v.

cego com bengala na escada

Bophuthatswana

4 1 v.

criança cega

Botswana

3 1 v.

vassoreiro cego

Brunei

3 1 v.

cego com bengala / alfabeto braille

Cingapura

4 1 v

telefonista cego

Coreia do Sul

1 1 v

leitura em braille

Etiópia

5 1 v.

pianista cego

Grenada

4 + bloco 1 v.

professor ensinando braille

Guiana

4 1 v.

L.Braille e menino aprendendo braille

Ghana

4 + bloco 2 v.

cegos com bengala

1 v.

cego lendo braille

Bloco

inscrições em braille

Indonésia

2 1 v.

cego2

Inglaterra

4 1 v.

cão-guia de cego

Jamáica

4 1 v.

empalhador de cadeira cego

Jordânia

3 3 v.

mãos lendo braille

Maldivas

4 + bloco 1 v.

Homero - poeta cego

Bloco

Helen Keller e Anne Sullivan

Mali

2 1 v.

cego estilizado

Panamá

1 1 v.

Louis Braille

Quênia

4 1 v.

alpinista cego

Salvador

4 3 v

mãos lendo braille

Santa Lúcia

4 1 v

Louis Braille e mão lendo braille

1 v.

J. Pulitzer - jornalista cego

Suécia

2 2 v.

menino cego estudando geografia

Suriname

3 1 v.

cego lendo braille

Swaziland

4 1 v.

jovem cego aprendendo braille

Tanzânia

4 1 v

musico cego (tamborista)

Togo

3 1 v.

cão-guia de cego

Trinidad & Tobago

4 1 v

cego com bengala

Uganda

4 + bloco 1 v

cão-guia de cego

Yêmen

3 3 v

tapeceiro e datilógrafo cegos

Zaire

8 1 v.

óculos escuros, bengala branca e caracteres braille

Zimbabwe

4 1 v

óculos escuro como símbolo de cegueira