Parceiros

fefibra.jpg

Estatísticas

Visitantes
388
Artigos
901
Ver quantos acessos teve os artigos
468622

Quem Está Online

Temos 91 visitantes e Nenhum membro online

Classe aberta

Critérios para avaliação de coleções de Classe aberta

 

A seguir 2 arquivos para consulta em espanhol e inglês.

A montagem de coleções da Classe Aberta para competições FIP, serão avaliadas seguindo os critérios descritos nos arquivos abaixo.


{edocs}colecoes/2013/classeaberta.pdf,730,575{/edocs}

{edocs}colecoes/2013/openclass.pdf,730,575{/edocs}

Inteiros Postais - Diretrizes

INTEIROS POSTAIS - DIRETRIZES
FONTE: FEFIESP
EM: 15/02/2011


DIRETRIZES PARA A AVALIAÇÃO DE PARTICIPAÇÕES DE INTEIROS POSTAIS

Introdução

Estas directrizes foram estabelecidos pela Comissão FIP de Inteiros Postais, como explicação complementar do Regulamento Especial para a Avaliação de Participações de Inteiros Postais em Exposições FIP (SREV) que foi aprovado no Congresso FIP de 1985, em Roma, e pretendem proporcionar uma orientação geral relativamente a:

a) Definição e natureza dos inteiros postais;

b) Princípios de composição de participação;

c) Avaliação de participações de inteiros postais.

Por consequência, devem estas directrizes ser tidas em consideração juntamente com o Regulamento Especial acima citado e com o Regulamento Geral da Federação Internacional de Filatelia (FIP) para a Avaliação de Participações em Exposições FIP (GREV).

Ainda que a Comissão tenha unanimemente reconhecido que todo o coleccionador é perfeitamente livre de construir e desenvolver uma colecção da forma que considerar mais apropriada, a Comissão sentiu que era seu dever dar informação e orientação no que respeita ao coleccionismo de inteiros postais, de tal forma que a verdadeira natureza e fins das várias classes de peças habitualmente agrupadas sob essa designação, possam ser correctamente apreciadas por todos os interessados por esta especialidade. Com este objectivo, foi feito um esforço no sentido de conseguir uma definição de inteiros postais, aceite na generalidade, com qualificações apropriadas cobrindo o material afim.

A - Definição o natureza dos inteiros postais

1 - Uma definição tradicional de inteiros postais, aceite na generalidade, pode ser enunciada da seguinte forma:

Os Inteiros Postais são objectos postais que comportam um selo impresso oficialmente autorizado ou uma marca ou inscrição indicando que um determinado valor facial, referente a um serviço postal ou relacionado, foi previamente pago.

Nota: Se bem que tradicionalmente a presença de um selo impresso tenha sido considerada fundamental para que uma peça fosse aceite como inteiro postal (SREV 2) um certo número de países emitiram os chamados ,Formulários" que eram vendidos ao público com selos adesivos já afixados isto antes da emissão de inteiros postais com selos impressos. Mais recentemente, um número crescente de Administrações Postais emitiram inteiros postais que, embora vendidos ao público a um preço determinado, indicam unicamente que um porte ou serviço foi antecipadamente pago sem terem qualquer indicação do valor pelo que são chamados "sem indicação do valor" (NVI).

Tais objectos podem ser apropriadamente incluídos em colecções e participações de inteiros postais. A posição a tomar face às peças que são similares ou idênticas, no formato, aos inteiros postais normais mas que não têm selo impresso nem a indicação do valor ou serviço utilizado, está em debate mas, actualmente, participações constituídas inteiramente por tais peças não seladas deverão, de preferência, ser expostas fora do concurso nas Exposições Internacionais FIP. Esta situação é passível de evolução e a Comissão poderá, em devido tempo, fornecer uma nova orientação acerca deste assunto.

2 - As diferentes formas de apresentação em papel ou cartolina sobre o qual o selo..., foi impresso (SREV 3.3) depende do fim específico para o qual foi concebido um determinado tipo de inteiro postal. Os primeiros inteiros postais a aparecer com selo impresso, foram as cartas postais e os sobrescritos. As outras formas de inteiros postais compreendem geralmente bilhetes postais, cintas de jornais, sobrescritos de registo, certificados de expedição, cartões postais/bilhetes-carta e aerogramas, mas outros tipos de documentos com selos postais impressos foram produzidos por vários países.
Outras categorias de inteiros selados, destinados a pagamentos antecipados mas sem finalidade postal e que são com frequência incluídos em colecções de inteiros postais, são formulários telegráficos e ordens de pagamento.

Nota: Em alguns casos os selos impressos encontrados em formulários telegráficos têm a inscrição "POSTAL" e eram aceites como selos postais quando recortados do seu suporte de origem.

3 - Os inteiros postais podem ser classificados, de acordo com a sua disponibilidade e modo de utilização, nas seguintes classes:

a) Emissões de Administração Postal: inteiros selados preparados de acordo com a regulamentação específica e editados por administração postal, para utilização do público em geral. É importante distinguir modificações privadas e não oficiais em edições normais dos Correios, feitas com finalidades filatélicas, geralmente conhecidas por "REPIQUAGES";

b) Emissões de Serviço Oficial: inteiros selados emitidos para uso exclusivo de departamentos governamentais. Os selos impressos podem ser similares aos que se encontram nas edições dos Correios ou podem ter um desenho especial. Em alternativa, as edições dos Correios podem ser adaptadas para o Serviço Oficial por meio de uma sobrecarga, etc.;

c) Emissões de Forças Militares: inteiros selados emitidos para uso de membros das forças armadas. Os selos impressos podem ser similares aos utilizados nas emissões dos Correios ou podem ter um desenho especial;

d) Emissões seladas por encomenda (particulares): inteiros postais comportando selos dos Correios impressos mediante a aprovação da administração postal e respeitando regulamentação específica, por encomenda de indivíduos ou organizações particulares. Os selos podem abranger uma mais ampla gama de designações e, por isso, um maior número de desenhos do que os encontrados nas emissões dos Correios.

Nota: É importante distinguir nesta classe de emissões seladas por encomenda (particulares) entre os que foram produzidos para uso postal genuíno e os que foram fabricados para fins filatélicos:

e) Emissões de Correios Locais: inteiros selados emitidos por agências postais privadas, com diversos graus de reconhecimento ou apoio da administração postal.

É também possível classificar os inteiros postais de acordo com o serviço postal ou serviço afim para o qual foram emitidos. Como exemplos desses serviços citam-se:

f) Postal: via superfície/aérea - local, nacional, estrangeiro - cartas, bilhetes postais, encomendas, jornais, etc.;

g) Registos: nacional, estrangeiro;

h) Telégrafo: nacional, estrangeiro, etc.;

i) Recibos: Certificados de expedição - cartas, encomendas;

j) Tarifas diversas, etc.: ordens postais, ordens de pagamento, outros documentos com selos impressos, etc..

B - Princípios de composição das participações

Uma participação de inteiros postais deve compreender um conjunto lógico e coerente de peças novas ou circuladas, conforme o definido pelas Directrizes emitidas pela Comissão FIP de Inteiros Postais, a fim de ilustrar uma ou mais categorias adiante descritas:

a) As emissões de um determinado país ou de um grupo associado de territórios.

b) As emissões de um determinado período

c) As emissões de uma determinada classe de inteiros postais (ver capítulo A, parágrafo 3, alíneas a - e);

d) As emissões de um determinado serviço postal ou afim (ver capítulo A, parágrafo 3, alíneas f - j);

e) As emissões correspondentes a uma determinada forma de apresentação em papel ou cartolina (ver capítulo A, parágrafo 2).

O plano ou a concepção da participação deve ser explicitado numa folha introdutória (GREV 3.3).
As participações de inteiros postais devem normalmente conter peças completas. Quando certas peças são muito raras na sua forma completa ou se sabe que existem apenas em formas cortadas (em quadrado), poderão ser aceites como parte de uma participação como, por exemplo, no estudo das variedades de cunhos utilizados para os selos, peças com obliterações raras, etc. Os selos de inteiros postais, cortados e usados como selos adesivos, podem também ser incluídos numa participação de inteiros postais.

Tal como se passa com as participações de selos adesivos, uma participação de inteiros postais pode incluir provas e ensaios oficiais, ou ainda inteiros com as sobrecargas "SPECIMEN" ou "CANCELADO", etc.

C - Critérios de avaliação das participações

De acordo com os artigos 4.3 e 4.4 do Regulamento Geral de Exposições FIP (GREX), as Exposições Mundiais e Internacionais Gerais devem providenciar para que seja apresentada uma Classe de Inteiros Postais, como entidade própria, numa parte ou sala do local de exposição.

Noutras exposições onde não foi considerada uma classe própria é desejável que as participações de inteiros postais sejam agrupadas geograficamente na Classe de Filatelia Tradicional, excepção feita para os aerogramas que, mais apropriadamente, devem ser expostos na Classe de Aerofilatelia.
Na apreciação de uma participação de inteiros postais o júri deve usar os seguintes critérios gerais (GREV 4.2):

a) Tratamento da participação (GREV 4.3);

b) Importância da participação (GREV 4.4);

c) Conhecimentos e pesquisa (GREV 4.5);

d) Estado e raridade (GREV 4.6);

e) Apresentação (GREV 4.7);

Os expositores devem estar conscientes da necessidade de considerar cuidadosamente os vários aspectos que em conjunto contribuem para maximizar a recompensa que uma participação pode alcançar. A seguir, são dadas algumas indicações sobre os elementos básicos a considerar em cada um dos critérios.

a) Tratamento da participação

Grau de avanço, originalidade e amplitude da participação: será que a participação apresenta o mais alto grau de avanço, tendo em conta as peças incluídas? A interpretação é ortodoxa ou tem um cariz fora do comum e original? Quão completo é o tratamento do assunto escolhido? Foi o tema escolhido para proporcionar uma participação apropriadamente equilibrada, com vista a ser apresentada no espaço disponível? As peças apresentadas correspondem, com propriedade, ao título e à descrição da participação?

b) Importância da participação

A importância de uma participação de inteiros postais é determinada, não só pelo significado da participação, em relação ao assunto escolhido, como também em relação ao significado global do assunto, no campo dos inteiros postais em geral.

c) Conhecimentos o pesquisa

A participação deve evidenciar um conhecimento total e exacto do assunto escolhido num estudo detalhado da informação existente. O Júri deverá ter em conta a pesquisa pessoal do expositor (GREV 4.5).

d) Estado e raridade do material

As peças apresentadas devem ser da melhor qualidade possível. O Júri deverá ter em conta as peças belas e raras apresentadas e também se estão incluídas na participação todas as peças raras, conhecidas e aceites como tal, relativamente ao assunto escolhido.

Nota: é desejável que a peça seja exposta na sua forma inteira, a não ser que um inteiro postal seja de extrema raridade, seja desconhecido na forma inteira ou a participação diga primariamente respeito às variedades de impressão do selo. Os inteiros postais privados de origem comercial são preferíveis àqueles que são elaborados com fins filatélicos.

e) Apresentação da participação

As legendas devem ser claras, concisas e relevantes em relação ao material exposto e ao assunto escolhido para a participação. A forma de apresentação deve proporcionar o melhor efeito possível ao material apresentado e de uma forma equilibrada. Nas participações de inteiros postais é importante evitar arranjos monótonos e uniformes.

Nota: Não poderá ser considerada qualquer vantagem ou desvantagem pelo facto do texto da participação ser escrito à mão, com máquinas de escrever ou impresso. Devem ser evitadas tintas de cores vivas e folhas de cor (GREV 4.7).

D - Apreciação das participações

As participações de inteiros postais serão apreciadas por especialistas qualificados na respectiva área e de acordo com a Secção 5 (Artigos 31 a 47) do GREX - Regulamento Geral de Exposições FIP (GREV 5.1).
Para orientação do Júri e no sentido de uma avaliação equilibrada das participações de inteiros postais, são estabelecidos os seguintes termos de pontuação:

Tratamento e Importância da participação
35
Conhecimentos e Pesquisa
35
Estado e Raridade
25
Apresentação
5
100

 

E - Disposição final

Na eventualidade de alguma discrepância no texto, proveniente da tradução, prevalecerá a versão inglesa.

Inteiros Postais

FONTE: FEFIESP
EM: 15/02/2011

INTEIROS POSTAIS - REGULAMENTO


REGULAMENTO ESPECIAL PARA A AVALIAÇÃO DE PARTICIPAÇÕES DE INTEIROS POSTAIS
EM EXPOSIÇÕES FIP

Artigo 1 - Exposições de competição

De acordo com o Artigo 1.4 do Regulamento Geral da FIP para a Avaliação de Participações em Exposições FIP (GREV), é estabelecido o presente Regulamento Especial, com vista a complementar aquele princípio no que respeita à Classe de Inteiros Postais.
Deve igualmente recorrer-se às Directrizes (guide-lines) para a Classe de Inteiros Postais, as quais constituem um guia prático para a aplicação deste Regulamento Especial.

Artigo 2 - Participações

Uma participação de Inteiros Postais compreende um conjunto lógico e coerente de objectos postais, os quais comportam um selo impresso oficialmente autorizado ou uma marca, ou inscrição, indicando que um determinado valor de porte foi devidamente pago.

Artigo 3 - Princípios de composição das participações

Uma participação de Inteiros Postais deve ser elaborada utilizando inteiros postais devidamente seleccionados, novos ou circulados por via postal, de um determinado país ou grupo associado de territórios, que ilustrem uma ou mais das categorias a seguir enunciadas:

3.1 - Os Inteiros Postais podem ser classificados de acordo com:

1) A sua disponibilidade e modo de utilização;

2) As suas diferentes formas de apresentação, em papel ou cartolina;

3) O serviço postal ou serviço afim para o qual foram emitidos.

3.2 - A sua disponibilidade e modo de utilização definem-se das seguintes formas:

1) Emissões de Administração Postal;

2) Emissões de Serviço Oficial;

3) Emissões Militares (Forças Armadas);

4) Emissões seladas por encomenda (particulares), isto é, inteiros postais comportando selos aplicados sob aprovação de uma administração postal e respeitando a regulamentação específica, mas por encomenda de indivíduos ou organizações particulares.

3.3 As diferentes formas de apresentação, em papel ou cartolina, sobre o qual o selo, marca ou inscrição foi impresso, podem ser subdivididas em:

1) Cartas Postais, incluindo Aerogramas;

2) Sobrescritos, incluindo os registados;

3) Bilhetes Postais;

4) Cartões Postais/Bilhetes Cartas;

5) Cintas de Jornais;

6) Impressos de diversos tipos.

3.4 - Os Inteiros Postais foram/são emitidos para utilização em diversos serviços postais ou afins, particularmente nos seguintes:

1) Postal: via de superfície - local, nacional, estrangeiro; Postal: via aérea - local, nacional, estrangeiro;

2) Registos: nacional, estrangeiro;

3) Telégrafo: nacional, estrangeiro;

4) Recibos de taxas diversas; Certificados de Expedição de encomendas postais; Ordens de pagamento; Vales Postais e outros documentos com selos postais impressos ou correspondente marca ou inscrição (Artigo 2).

3.5 - Os formulários vendidos na qualidade de selos adesivos e respeitantes ao país em causa, podem ser incluídos.

3.6 - As participações de Inteiros Postais devem normalmente ser constituídas por peças completas. Quando certas peças são muito raras na sua forma completa ou se sabe que existem apenas em formas cortadas (em quadrado), as mesmas poderão ser aceites como parte de uma participação, ou seja, por exemplo, no estudo das variedades dos cunhos utilizados na impressão do selo fixo ou para mostrar peças com obliterações raras, etc. A utilização de selos (cortados) de inteiros postais com selos adesivos, pode também ser incluída, desde que o seja apropriadamente.

3.7 - Igualmente podem ser incluídos os ensaios e provas, tenham estes sido adaptados ou rejeitados.

3.8 - O plano ou o conceito da participação deve ser claramente exposto num texto introdutório (GREV -Artigo 3.3).

Artigo 4 - Critérios de avaliação das participações
Vide GREV - Artigo 4.

Artigo 5 - Apreciação das participações

5.1 - As participações de Inteiros Postais serão apreciadas por especialistas qualificados na respectiva área e em concordância com o disposto na Secção V (Artigos 31 a 47) do GREX - Regulamento Geral de Exposições FIP (GREV - Artigo 5.1).

5.2 - Para orientação do Júri e no sentido de uma avaliação equilibrada das participações de Inteiros Postais, são estabelecidos os seguintes termos de pontuação:

Tratamento e Importância da participação
35
Conhecimentos e Pesquisa
35
Estado e Raridade
25
Apresentação
5
100

Artigo 6 - Disposições finais

6.1 - Na eventualidade de existência de alguma discrepância no texto, proveniente da tradução, prevalecerá a versão inglesa.

6.2 - O Regulamento Especial para a Avaliação de Participações de Inteiros Postais em Exposições FIP foi aprovado pelo 541 Congresso FIP, em 5 de Novembro de 1985 na cidade de Roma. Este Regulamento entra vigor em 5 de Novembro de 1985 e aplica-se a todas as exposições que solicitem o patrocínio, auspícios ou apoio da FIP a partir daquela data.

 

 

Filatelia Tradicional

FILATELIA TRADICIONAL - REGULAMENTO
FONTE: FEFIESP
EM: 15/02/2011


REGULAMENTO ESPECIAL PARA A AVALIAÇÃO DE PARTICIPAÇÕES DE FILATELIA TRADICIONAL EM EXPOSIÇÕES FIP

 

Artigo 1 - Exposições de competição

De acordo com o Artigo 1.4 do Regulamento Geral da FIP para a Avaliação de Participações em Exposições FIP (GREV), é estabelecido o presente Regulamento Especial, com vista a Complementar aqueles princípios, no que respeita à Classe de Filatelia Tradicional.
Deve igualmente recorrer-se às Directrizes (guide-lines) para a Classe de Filatelia Tradicional, as quais constituem um guia prático para a aplicação deste Regulamento Especial.

Artigo 2 - Participações

A Filatelia Tradicional abrange todos os aspectos da filatelia. Qualquer participação será considerada como sendo de Filatelia Tradicional a menos que ela se integre numa outra das classes especializadas FIP.
A Filatelia Tradicional baseia-se na coleccionarão de todas as peças postais incluindo as relacionadas com a produção de selos postais, de forma especializada ou generalizada, cortsoante a vontade do coleccionador (GREV - Artigo 2.3).

Artigo 3 - Princípios de composição da participação

O material filatélico apropriado para uma participação de Filatelia Tradicional, inclui, entre outros,.

1) Selos postais, novos ou usados, simples ou múltiplos, e selos usado sobre carta;

2) Variedades de todos os tipos, tais como: filigranas, gomagens, denteados, papéis e impressões;

3) Ensaios e provas, quer de desenhos aprovados quer de rejeitados;

4) Peças pré-adevisas e de isenção de franquia adequadas, as quais, contudo, não devem normalmente exceder 15% do espaço da participação;

5) Outras peças especiais, incluindo falsificações postais, selos fiscais usados como selos postais ou selos fiscais/postais novos, válidos para uso postal.

O plano ou o conceito da participação deve ser claramente exposto num texto introdutório (GREV - Artigo 3.3).

Artigo 4 - Critérios de avaliação das participações
Vide GREV - Artigo 4.

4.1 - Critério Conhecimentos e Pesquisa (GREV - Artigo 4.5): as participações que abranjam áreas sobre as quais já tenham sido feitas pesquisase cujos resultados estejam publicados, não devem ser penalizados por ausência de investigação pessoal do expositor.

Artigo 5 - Apreciação das participações

5.1 - As participações de Filatelia Tradicional serão apreciadas por especialistas qualificados na respectiva área e em concordância com o disposto na Secção V (Artigos 31 a 47) do GREX - Regulamento Geral de Exposições FIP (GREV - Artigo 5.1).

5.2 - Para orientação do Júri e no sentido de uma avaliação equilibrada das participações de Filatelia Tradicional, são estabelecidos os seguintes termos de pontuação:

Tratamento (10) e Importância (20) da participação
30
Conhecimentos e Pesquisa
35
Estado e Raridade
30
Apresentação
5
100


Artigo 6 - Disposições finais

6.1 - Na eventualidade de existência de alguma discrepância no texto, proveniente da tradução, prevalecerá a versão inglesa.

6.2 - O Regulamento Especial para a Avaliação de Participações de Filatelia Tradicional em Exposições FIP foi aprovado pelo 54º Congresso FIP, em 5 de Novembro de 1985 na cidade de Roma. Este Regulamento entra em vigor em 5 de Novembro de 1985 e aplica-se a todas as exposições que solicitem o patrocínio, auspícios ou apoio da FIP a partir daquela data.

 

Classe "Um Quadro"

FONTE: FEFIESP
em 21/02/2010

Objetivando incentivar a elaboração de novas coleções e atrair mais adeptos para a Filatelia, a Federação Brasileira de Filatelia (FEBRAF) criou, em caráter experimental, uma nova Classe de Competição, denominada Um Quadro.

Para isso, foi elaborado um Regulamento Especial para a Classe Um Quadro, ainda em caráter experimental. As diretrizes para o respectivo julgamento das participações são as atualmente adotadas pela FIP.

Visto tratar-se de uma classe recente, as participações em exposições nacionais não necessitam, obrigatoriamente, de uma premiação mínima anteriormente.


REGULAMENTO ESPECIAL PARA A CLASSE UM QUADRO

Introdução

O objetivo e o conceito da Classe de "Um Quadro" é incentivar novos expositores e possibilitar aos que já expõem a oportunidade de preparar participações filatélicas sobre matérias ou temas que não podem ser desenvolvidos de maneira adequada em mais de Um Quadro". As participações na Classe "Um Quadro" podem ser de qualquer uma das Classes de Competição da FEBRAF.

Artigo 1: Exposições Competitivas

Este Regulamento complementa os atuais Regulamentos Geral de Exposições Filatélicas Brasileiras de Competição e destina-se às coleções da Classe Um Quadro.


Artigo 2: Participações Competitivas


As participações na Classe Um Quadro devem conter material filatélico / postal admitido em qualquer uma das Classes FEBRAF. As participações na Classe Um Quadro são limitadas em seu alcance, mas a profundidade do tratamento e sua importância devem ser tão completas quanto seja possível. As participações deste gênero não devem ser simplesmente o resultado da extração de um painel de uma coleção de vários painéis.

Devem constar de coleções que se atenham a um tema que possa ser melhor tratado com apenas um quadro. (Expositores novatos que estejam iniciando o desenvolvimento de um tema passível de expansão posterior para coleções de vários quadros no futuro, também serão admissíveis). As participações Um Quadro podem ser de quaisquer das classes de competição da FIP, com exceção da Filatelia Juvenil e da Literatura Filatélica.

Artigo 3: Princípios da Composição de uma Coleção de Um Quadro


Os princípios definidos no Regulamento Especial das Classes Competitivas FEBRAF para Filatelia Tradicional, História Postal, Inteiros Postais, Filatelia Temática, Aerofilatelia, Astrofilatelia, Maximafilia e Selos Fiscais são também válidos para a Classe Um Quadro.

O conhecimento, a apresentação e o desenvolvimento devem ser enfatizados. A participação deve atrair a atenção do observador da primeira à última página, informar e ser didática.

As coleções da Classe Um Quadro são uma oportunidade para os expositores principiantes e avançados. O conceito ou o plano da coleção deve estar explicado claramente na página de apresentação.

As participações Um Quadro devem ser baseadas em um assunto ou tema que seja melhor abordado como Um Quadro: sobre um ou dois selos postais ou uma pequena série de selos; sobre um assunto bem reduzido das diversas classes filatélicas. No caso da Filatelia Temática, apenas um tema bem restrito pode ser admitido.


Artigo 4: Critérios de Avaliação.


Serão usados os seguintes critérios:


- Tratamento e Importância Filatélica;

- Conhecimento Filatélico - Estudo Pessoal e Investigação

- Estado e Raridade do material exposto

- Apresentação

Para a Classe Um Quadro é essencial que o tema / assunto seja nem definido e onde cada peça filatélica seja necessária para o seu desenvolvimento e que o título possa refletir, da melhor maneira possível, o conteúdo da participação.


Artigo 5: Julgamento


As participações na Classe Um Quadro serão julgadas por jurados habilitados em suas respectivas especialidades As coleções da Classe Um Quadro serão avaliada por pontos, de acordo com os seguintes critérios:


Tratamento e Importância - 30 pontos

Conhecimento Filatélico/Temático, Estudo Pessoal e Pesquisa - 35 pontos

Condição e Raridade - 30 pontos

Apresentação - 5 pontos

Total - 100 pontos

Artigo 6: As premiações para participações Um Quadro são estabelecidas como segue:

> 90 pontos - Ouro
80 a 89 pontos - Vermeil
70 a 79 pontos - Prata
60 a 69 pontos - Bronze
< 59 pontos - Certificado de Participação

Para participações Um Quadro, serão outorgados Certificados de Ouro, Vermeil, Prata e Bronze, com a indicação "Um Quadro" e não medalhas metálicas. As apresentações de Um Quadro podem receber Prêmios Especiais, Prêmio de melhor participação em cada Classe bem como felicitações do Júri. A CO poderá oferecer lembranças da exposição a seu critério.


Penalidades para participações Um Quadro (e seus autores)


Penalidades pela escolha incorreta de um assunto ou tema não adequado para uma participação Um Quadro dependerão do grau de incorreção ou das lacunas na concepção do assunto/tema, podendo implicar a perda de pelo menos 5 (cinco) pontos.


Artigo 7 - Os requisitos para aceitação de inscrição na Classe Um Quadro


7.1 - Em exposições Nacional FEBRAF são:


7.1.1 - O nível de ingresso fica fixado em 70 pontos (PRATA) obtidos em uma Exposição Regional.

7.1.2 - O Número de Participações na Classe Um Quadro deve ser limitado a cerca de 10 % do número de participações aceitas na exposição.

OBS : VISTO TRATAR-SE DE CLASSE NOVA, O REQUISITO MÍNIMO PARA NACIONAIS NÃO SE APLICA ATÉ POSTERIOR DEFINIÇÃO DA FEBRAF.


7.2 - Em internacionais e mundiais FIP :


7.2.1 - Qualifica-se com 80 pontos (premiação Vermeil) uma participação para exposições internacionais e mundiais FIP.


OBS : O REQUISITO MÍNIMO PARA INTERNACIONAIS E MUNDIAIS FIP, É A QUALIFICAÇÃO OBTIDA EM EXPOSIÇÃO NACIONAL FEBRAF.


Artigo 8: Disposições Finais


8.1 - A FEBRAF resolverá eventual divergência neste Regulamento

Mais Artigos...

  1. Filatelia Temática